ONG APONTA ROMBO DE 7 MILHÕES NA BAHIA

 

A denúncia d' O GLOBO.  (O caso é sério).

Vamos acompanhar, ajudar e apoiar o trabalho da Promotora Rita Tourinho. Esta sim é a "tábua da salvação" da Bahia. Esta mulher está sozinha numa verdadeira cruzada contra os ladrões que se instalaram no governo da Bahia e estão saqueando o estado. Faça uma consulta rápida no google e você vai encontrar os casos em que ela tem protegido este estado. E estamos sendo covardes em deixá-la sozinha nesta luta.
Ela luta contra este prefeito de merda que temos,  a câmara de vereadores que pode ser chamada de câmara de ladrões, deputados corruptos ou cúmplices, secretários do município e do estado escolhido pelos partidos para proteger os roubos - com raras excessões entre vereadores, deputados e secretários - e governador cínico, incompetente e irresponsável. O escândalo da Secretaria da Indústria do Estado passou batido pela traição e omissão da grande imprensa, as contratações irregulares são escandalosas no estado, o dinheiro do turismo desaparece, o Pelourinho está desmoronando e a indústria turística falida, e mais este desvio de dinheiro público, entre tantos outros. Prioridade para o PT é estádio de futebol! Aonde vamos parar?
Viramos escravos da corrupção, temos que trabalhar mais para pagar as contas que o estado nos impôe. Roubam o dinheiro, não cumprem com suas obrigações, nos fazem trabalhar e gastar mais com serviços privados, fazem mais empréstimos a bancos vagabundos, ladrões e irresponsáveis, e para nós pagarmos.
NOSSOS FILHOS ESTÃO SEM AULAS! ATÉ QUANDO? VOCÊ DA CLASSE MÉDIA ACHA QUE NÃO TEM NADA COM ISTO? VOCÊ NÃO FOI ATINGIDO AINDA PELA VIOLÊNCIA GERADA PELO GOVERNO?
Caros colegas,
Eis o real motivo pelo qual o ditador Jaques Wagner vive afirmando que não tem como nos conceder o aumento e, mesmo com tantos pedido, não quer abrir as contas do FUNDEB. Confiram o que estou falando no link:

http://oglobo.globo.com/pais/auditoria-em-ong-aponta-rombo-de-7-milhoes-na-bahia-4833401
Auditoria em ONG aponta rombo de R$ 7 milhões na Bahia
SALVADOR - Notas fiscais falsas no valor de R$ 985 mil, mais R$ 2,7 milhões de despesas em treinamento e capacitação de pessoal não comprovadas e R$ 3,63 milhões sem prestação de contas, somando um total de R$ 7,315 milhões. Este é o rombo encontrado pela Auditoria Geral do Estado (AGE), órgão da Secretaria da Fazenda da Bahia, no convênio de R$ 17,9 milhões assinado em 2008 pela Secretaria Estadual de Desenvolvimento Urbano (Sedur) e a ONG Instituto Brasil Preservação Ambiental, que teve as parcelas restantes do contrato suspensas em 2010 pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) a pedido do Ministério Público Estadual. O TCE julga um recurso da entidade visando desbloquear os recursos.
A promotora Rita Tourinho, do MP-BA, está finalizando a investigação e deve denunciar os responsáveis pelas falcatruas à Justiça por improbidade administrativa até o final do mês. Ela informou que foi aberto um inquérito criminal sobre o caso. Depois que o escândalo estourou, há dois anos, a Sedur, comandada na época pelo hoje deputado federal Afonso Florence (PT), ex-ministro do Desenvolvimento Agrário, determinou a abertura de sindicância para apurar o caso, mas isso só ocorreu em janeiro de 2012. A comissão foi presidida por Armando Cunha. Ele disse que foi feito um “trabalho administrativo interno porque não houve prestação de contas da segunda parcela de verbas liberadas pelo contrato”, mas não quis revelar o conteúdo da conclusão do trabalho.