Home Destaque

Destaque

ERROS MÉDICOS: ATÉ QUANDO?

Mulher morre após receber glicerina na veia em hospital do Ceará

A injeção de glicerina em vez de soro na veia de uma idosa pode ter causado a morte dela em um hospital do Ceará.

De acordo com Antônio Ernani de Freitas, diretor do hospital São Vicente de Paula, em Barbalha (505 km de Fortaleza), a aposentada Maria Carmelita Laurentino, 75, estava internada no Hospital Geral de Missão Velha (507 km de Fortaleza) com suspeita de pneumonia. Ela foi transferida para a unidade de Barbalha na quarta-feira (20).

Ao chegar, o médico que estava de plantão estranhou a substância intravenosa que a mulher estava tomando na ambulância e percebeu que era glicerina, material que não pode ser aplicado na veia ou ingerido.

O médico, segundo o diretor, imediatamente trocou o medicamento, mas a idosa morreu cerca de uma hora depois. Segundo Freitas, ainda é preciso aguardar o laudo do IML (Instituto Médico Legal) para saber se a glicerina foi a causa da morte.

A ocorrência foi registrada na delegacia do município. Segundo informaçoes, as investigações sobre o caso ainda não haviam começado porque a Polícia Civil está em greve.
No Hospital Geral de Missão Velha, um funcionário informou que não havia ninguém para falar sobre o caso. A secretária de Saúde do município, Elisian Fechine, disse que o hospital é filantrópico, mas a gestão da unidade é municipal. Ela afirmou que uma auxiliar de enfermagem suspeita de ter trocado o soro pela glicerina foi afastada até que a investigação seja concluída.

A FORÇA DO RACISMO.

Mais da metade dos brasileiros acredita que a cor ou raça influencia o trabalho
Mais da metade da população brasileira (63,7%) acredita que cor da pele ou raça exercem efeitos nas relações cotidianas. A constatação é da pesquisa divulgada nesta sexta-feira (22) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Para sete de cada dez entrevistados, o trabalho é o que mais sofre maior esse tipo de influência.

A pesquisa também revelou que 68,3% acham que cor e raça influenciam nas relações com a polícia ou Justiça. Para 65%, também existe essa relação nas relações interpessoais.

Quando perguntadas qual a sua cor ou raça, 29,5% dos entrevistados se autoclassificaram como “morena” (21,7%, com variações “morena clara” e “morena escura” e “negra” (7,8%)), termos que não constam nas categorias do IBGE. Os outros resultados, incluindo apenas classificações do instituto, apontaram os seguintes resultados: branca (49,0%), preta (1,4%), parda (13,6%), a marela (1,5%) e indígena (0,4%).

O levantamento – intitulada como “Pesquisa das Características Étnico-Raciais da População: um Estudo das Categorias de Classificação de Cor ou Raça” - foi feito em 15 mil domicílios de cinco estados (Amazonas, Paraíba, São Paulo, Rio Grande do Sul e Mato Grosso) e no Distrito Federal, em 2008.

SOU "ORTORIDADE"

Existem em algumas cidades do país, A Guarda Municipal. Ocorre que em Salvador, esta corporação continua agindo como se polícia fosse. Ao que nos consta, qualquer Guarda-Municipal não tem o poder de policia. Foram criadas para dar segurança a edificios, patrimônios e logradouros públicos do país. Mas na Bahia, ela é "hours concourts". Deita e rola com os munícipes. Chegando ao ao ponto de agir com violência física. As polícias Civil e Militar, sim é quem têm o direito de agir em cumprimento aos estatutos e normas regimentais para manter o direito de ir e vir do cidadão. A população de Salvador fica entregue à açao dos componentes dessa 'guarda(?), os quais na maioria, sem o menor preparo psicológico e no trato com pessoas. Ja dizia o ex-governador baiano Otavio Mangabeira: "Pense no absurdo. Nao Bahia tem precedentes".

SEGUINDO OS PASSOS DO PADRINHO

Rezando na mesma cartilha do Lula, que para agraciar amigos e pedidos, aumentou consideravelmente o número de Ministérios, a Presidente Dilma, acaba de anunciar mais um: A Secretaria da Micro e Pequena Empresa e será ligada diretamente à Presidência da República, e com status de ministério, convidando a empresária Maria Luisa Trajano(Magazine Luiza) para a pasta, em solenidade no Palacio do Planalto. Causa-nos espécie tal procedimento, se a presidente insiste no corte de 50 bilhões no orçamento, apesar de nao ter ainda indicado onde serão efetuados. Reduzir despesas dssa maneira, sòmente o Mandrake seria capaz.

A PETROBRÁS

A Petrobrás é a maior empresa do  país e, consequente arca com quase 75% dos custos(despesas) do Brasil. Mas, ja faz tempo que vem assaltando literalmente os automoblistas brasileiros, quando os preços cobrados pelos postos com bandeira "BR", são os mais altos que há, quando na verdade deveria ser o contrário. Deveria. Mais, não é. O país vende gasolina pura para outros países à preços bem mais baixo que os cobrados aqui e com o combustível misturado ao álcool. Lembramo-nos do ex-ministro e presidente da Petrobrás, que a época, veio a público e declarou: " vou manter o precço da gasolina, durante 1 ano, e mostrarei que a empresa continuará dando lucros". E o fez. Hoje, lamentavelmente em cada cidade brasileira, cobra-se preços diferenciados, confirmando-se assim a existencia de um "cartel" nacional, onde o governo nada faz para combater. TRISTE BRASIL!!!!!!! assaltado pelo próprio governo.//.

CHAVÉZ X ELETRONORTE

Comentando uma propaganda enganosa:
Toda ação gera reação. Toda moeda tem dois lados. A ingerência do presidente Lula em assuntos internos de outros países, o fez sentir na pele, o trôco. O estado de Roraima, por mais incrível que possa parecer, recebe significativo percentual de energia vindo da Venezuela. A crise que atravessa este país, e as duras medidas tomadas pelo presidente Chavéz, inclui o racionamento. No Brasil, existe uma subsidiária da Eletrobrás, a ELETRONORTE, Centrais Elétricas do Norte do Brasil S/A, fundada em 1973 e que traz em sua logo-marca o slogan:"pura energia brasileira". Vê-se aí a propaganda enganosa. Como os demais órgãos e demais empresas de capital misto, esta também não foge à regra. Mais um cabide de empregos. Tem atualmente na diretoria de engenharia, o irmão de outro 'amiguinho do peito' do nosso presidente, ex-ministro Antônio Palocci. Onde estão os projetos de geração e capacitação de distribuição de energia, fundada para este mister nos 9 estados da chamada Amazônia legal? Mais um grande, lamentável e lastimável motivo para os nordestinos estarem e continuarem na MERDA.(Por Roy Lacerda)

SACANAGEM, NÁO!!!!!

O PT está "P" da vida com a atuação da Imprensa. Tenta de novo colocar a 'mordaça', maquiando para a opinião publica seus verdadeiros interesses ao dizer que quer apenas regulamentar o exercio da profissão jornalistica. Tudo nao passa de engôdo. A atuação forte e decisiva do José Dirceu no atual governo denunciada pela revista VEJA, foi a gôta d'água. As declaraçoes do ministro das comunicações Paulo Bernardo, são verdadeiras babaquices, ao declarar que revisará a proposta do Lula quanto a atuação da mídia. Deveria sim, inteirar-se dos textos conetidos na Carta Magna, a respeito do assunto, da livre expressão do pensamento, da atuação livre da imprensa e demais órgãos de comunicação. Lembramos ao senhor Ministro, que existem no Brasil um Còdigo Penal e legislação específica sobre crimes de imprensa. Não é admissível, a tentativa de fazer retroceder os níveis desta liberdade e democracia, conseguidos à duras penas e ja conquistados, assim como, os eventuasi avanços. O PT, diz que apenas quer "regulamentar"; que nao quer a censura e os grandes grupos de comunicação que detêm mais de um veículo e o 'jornalismo partidário'. Quem vai dizer se algum veículo está fazendo o 'jornalismo partidário? Eproíbí-lo, não é fazer censura, restringindo a liberdade de expressão? Quanto aos grandes grupos, o que fazer com os impérios do Collor de Melo e José Sarney? O PT, o Planalto e seus ministros, devem sim, preocupar-se na criação de projetos sociais e suas respectivas execuções, e não a tentatica de esconder as ações de corrupção. O Brasil e a nação merecem muito mais respeito e a Imprensa, sempre será livre.(Por Roy Lacerda).

E AGORA SRA. PRESIDENTE?

Matéria publicada no jornal Correio Brasiliense denuncia que a prefeitura de Glória, no norte da Bahia, firmou diversos contratos com a empresa Jair Serviços e Construções Ltda. , que seria de fachada. A prefeita da cidade é Ena Vilma Negromonte (PP), mulher do ministro das Cidades, Mário Negromonte, e a empresa é administrada pelo irmão da melhor amiga, Fátima Gomes, também assessora da prefeita. Segundo a matéria, construtora é desconhecida na região e no endereço em que deveria estar sua sede é uma casa de classe média no Loteamento Panorama. A empresa já recebeu quase R$ 1 milhão para tocar obras no município, depois da eleição de Ena. A reportagem tentou falar com os proprietários legais da Jair Serviços e Construções, mas ninguém foi encontrado. A prefeita e Fátima negam que a empresa seja de fachada e asseguram que, sob licitação, venceu a melhor proposta para os cofres públicos.

COMENTÁRIO CPIBRASIL.COM (ROY LACERDA).

A Presidente esta semana desceu a rampa do palacio, lentamente e em conversa com o ministro Negormonte, numa demonstração pública de que o titular da pasta do Ministério das Cidades. Será que esta materia do mairo jornal do DF, tambem é intriga da Imprensa. E que publica o que quer? Será que estas denúncias tambem não têm sustentação? Que o seu governo, só tem a necessidade de faxina contra a pobreza? E AGORA, SRa. PRESIDENTE?

MUITO ALEM DE UM 'CARA-DE-PAU"

COMENTÁRIO CPIBRASIL.COM (ROY LACERDA):

Muito alem de uma cara-de-pau a atitude do 'Todo Poderoso' do Congresso Nacional, que demonstra à todo instante o seu poderio, não se importando com nada ou com ninguem, e costumeiramente fazendo do bôbos os eleitores brasileiros, ao assacar contra os cofres da nação ao usar a máquina pública. Concordamos em gênero, número e gráu com o escritor Helio Rocha, membro da Academia de Letras da Bahia e, que, transcrevemos a baixo e na íntegra sua coluna intitulada ILHA SEM MARIMBONDOS, publicada no jornal A Tarde/Ba.

Que José Sarney tenha ilha particular no Maranhão, nada a obstar. Possui  propriedades desse jaez quem cava fundo e se dobra à ostentação. Os políticos habituaram-se a somar regalias, e não será o senador, já entrado em anos e conservador, o p rimeiro a romper tão saudável primícia. Intelectual de farda academica, Sarney deveria levar livros para o repouso de guerreiro na ilha. Poderia não ser os Marimbondos de Fogo, de sua lavra, por causa das ferroadas estilisticas; mas levar empresários é falta de imaginação inaceitável em ficcionistas. Sobretudo se primos do marido de roseana, filha do senador, governadora do feudo maranhense, e com obras contratadas no valor de R$70 milhões. Sarney viajou em helicóptero da Polícia Militar comprado com dinheiro público para atendimento médico de urgência e combate ao crime. Alega o senador que não prejudicou ninguem, porn que um pedreiro à espera de ambulância, em São Luis, teve a paciência e o respeito de esperar o desembarque das autoridades, apesar de traumatismo craniano e clavícola partida. Alem de ponderar que não prejudicou o socorro, o senador e ex-presidente, que deveria dar-se ao respeito pelos altos cargos exercidos, agarrou-se a outra desculpa esfarrapada: havia tomado o helicóptero a convite da gaovernadora. O empresário Dualibe Filho não foi citado. A ninguem conviria citá-lo. Se as explicações falham, favor lembrarem que Saney e seus pares têm o direito a transporte de representação. Somente se esqueceu de mencionar que a prebenda se justifica em missão oficial. È o transporte privilegiado: o povo compra aeronaves, paga combustível e horas de voo do piloto para que parlamentares tenham bom descanso em ilhas hedonísticas. O político brasileiro viciou-se nas mordomias. A cada legislatura se faz credor maior de favores oficiais, a ponto de considerá-los naturais. È como Gilda, aquela do filme: não pede desculpa, vai em frente - e se lhe registram o passo em falso, dá de ombros: afinal, o eleitor logo esquece, somos um país de meméria curtra, a  água volta a correr sob a ponte.//.

Campanha da legalidade 50 anos

Em 25 de agosto de 1961, durante as festividades do dia do soldado em Porto Alegre, o governador Brizolla recebe a notícia da renúncia de Jânio Quadros e pressentindo o risco de golpe, vai para o palácio Piritini e deflagra o movimento que ficaria conhecido como a "Campanha da Legalidade" e considerado como o primeiro levante civil para impedir o golpe militar. Instalou nos porões do palacio do governo  um transmissor da radio Guaíba onde fez diversos discursos convocando a população a defender a ordem legal e a Constituição. Em 1º de setembro, João Goulart desembarca na capital gaúcha convencido de que o Parlamentarismo(o presidente tem poderes limitados), seria a solução para o impasse com os militares. No dia 7 de setembro, Jango assume a presidência da república e Trancredo Neves é nomeado 1º ministro. Tres deputados baianos se destacam nas negociações para a mudança do sistema de governo para o parlamentarismo: Waldir Pires, Fernando Santana e Hélio Ramos, lutando pela ordem democrática. Um grande país, se faz com história!.
(Roy Lacerda/Editor).

LEI da FICHA LIMPA È DESAFIADA.

O ex-governador do DF, Joaquim Roriz decide retomar a partição em campanhas, lançando a própria candidatura a prefeitura de Luziania (GO) cidade onde nasceu. Com isso, prova que ainda em força política a ponto de desafiar uma lei que partiu dos anseios populares do país. Já o julgamento da sua filha, adeputadafederal Jaqueline Roriz(PMN/DF), envolvida na operação Caixa de Pandora, foi estipulado pelo Còdigo de Ètica da Câmara, como prazo máximo, até o dia 23 do corrente

COMANDANTE MILITAR PROMOVE BENÉCIES

Fiscalização do TCU (Tribunal de Contas da União) afirma que o general Enzo Martins Peri, comandante do Exército, beneficiou empresas ligadas a militares com dispensas de licitação entre 2003 e 2007, quando administrou o DEC (Departamento de Engenharia e Construção), do Exército.
De acordo com relatório concluído em junho, há casos de projetos contratados que não foram entregues e outros de duplicidade de pagamentos --quando duas entidades recebem dinheiro por um mesmo contrato. Em nota, o Comando do Exército informou que determinou a instauração de uma "tomada de contas especial", referente ao período de 2002 a 2006, no IME (Instituto Militar de Engenharia) e no DEC, para apurar se houve algum dano aos cofres públicos.
segundo tomamos conhecimento, procuradora Cláudia Luz efetuou procedimento para analisar a situação do general Enzo e dos outros sete oficiais envolvidos com obras rodoviárias feitas pelo Exército. Os oficiais comandaram o DEC (Departamento de Engenharia e Construção) e o IME (Instituto Militar de Engenharia) entre 2004 e 2009, período em que o Exército firmou vários convênios com o Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) para realizar obras em rodovias.//.

UM GRANDE 'BABACA"

SÃO TODOS BORIS CASOYS (Eduardo Guimarães) :
Na noite de sexta-feira, dia primeiro, o âncora de um telejornal da TV Bandeirantes, Bóris Casoy, teve que apresentar pedido de desculpas por comentário ofensivo que fez a dois varredores de rua (garis) durante a apresentação de reportagem da emissora da família Saad em que estes trabalhadores desejavam boas festas ao público. O jornalista teve que pedir desculpas aos telespectadores e aos garis porque não se deu conta de que o áudio estava ligado durante o intervalo comercial, enquanto ele fazia um comentário absurdo sobre os garis, ridicularizando a profissão deles e desdenhando de seus votos de bom Ano Novo. Conheci Bóris Casoy pessoalmente faz cerca de nove anos. Foi num evento promovido pela Folha de São Paulo em comemoração aos 80 anos do jornal. O então ombudsman da Folha, Bernardo Ajzemb erg, foi quem me convidou. Eu era um dos leitores mais publicados na seção de cartas daquele veículo. Até então, jamais tinha visto um político na frente, apesar de todos os dias escrever artigos sobre política tanto quanto hoje, os quais enviava para listas de e-mails e para sites como o Observatório da Imprensa. Assim sendo, naquele evento me senti como uma criança na Disneylândia. Estacionei na garagem da Sala São Paulo, elegante complexo de convenções que fica no centro velho da capital paulista, próximo à Estação da Luz (uma estação ferroviária), paradoxalmente localizado numa região da cidade conhecida como “Cracolândia” por abrigar toxicômanos, população de rua, prostitutas e travestis. No elevador que de fato me elevava do subsolo até o primeiro piso, onde acontecia o evento, encontrei com José Sarney e com Claudio “elite branca” Lembo. Dali em diante, digo que estavam TODOS os políticos por lá, inclusive do PT. Lembro-me bem de c omo Eliane Cantanhêde, que trocou algumas palavras comigo, paparicou a então prefeita Marta Suplicy quando ela apareceu. E de como Clóvis Rossi fez trocadilho com as iniciais que eu usava ao assinar textos rápidos, EG. Rossi fez trocadilho com EJ, de Eduardo Jorge, ex-secretário de FHC então metido num escândalo rumoroso. No mais, apesar de se mostrarem condescendentes com seus fãs – e eu, de alguma forma, era um deles, pois acabara de trocar o Estadão pela Folha atraído pela então maior pluralidade deste jornal –, aqueles colunistas e apresentadores de tevê ou rádio que ali estavam, bem como os políticos, portavam-se todos como verdadeiros demiurgos em meio à ralé mortal. Devido ao ar de superioridade condescendente daquela fauna política e jornalística que, na melhor das hipóteses, tentava sorrir com uma amabilidade absolutamente enfadada para os convidados, decidi aproveitar para saber mais sobre ela, puxando conversa com aqueles que me interessav am mais. Falei com José Genoino, com Ciro Gomes e com Marta Suplicy... Ah, e com o Paulinho da Força Sindical. Além dos políticos, falei com Clóvis Rossi, Eliane Cantanhêde, Fernando Rodrigues e outros jornalistas, incluindo um que se portou como um verdadeiro animal comigo, o tal de Bóris Casoy. Aproximei-me dele enquanto conversava com um grupo. Fiquei de lado esperando uma brecha para cumprimentá-lo e talvez perguntar alguma coisa, pois pretendia escrever um “post” sobre aquela experiência. Travou-se, então, o seguinte diálogo:
-- Boa tarde. Gostaria de cumprimentá-lo, sou espectador de seu telejornal.
-- Você é uma pessoa de muita sorte, então.
Com essa resposta, Casoy me deu as costas e continuou conversando com seu grupo. A verdade, meus caros, é que esses colunistas, âncoras de telejornal, apresentadores de programas jornalísticos, a fauna midiática, enfim, acredita-se superior ao “resto” da sociedade. São quase todos iguais, c om honrosas exceções. Eles se sentem mesmo superiores e não é só em relação a garis. Pessoas comuns como nós são vistas por eles como algo que tiraram dos ouvidos ou do nariz. Agora, vocês imaginem uma emissora de televisão aberta, uma concessão pública, ter um sujeito como Bóris Casoy – que, para mim, é um sociopata – dando suas opiniões vulgares, arrogantes, facciosas como se fossem as pérolas definitivas do pensamento humano, todos os dias, em horário nobre. É uma ameaça à sociedade dar esse espaço tão importante a gente com esse caráter. E alguém acha que Willian Bonner é diferente? Este, por sua vez, chamou seus telespectadores de Homer Simpson, numa alusão a uma suposta baixa capacidade intelectual deles. Despreza seu público de forma acintosa e a impressão que se tem é a de que se gaba de que este não nota. Mas o interessante é que quando Casoy me destratou naquele evento da Folha, fiquei pensando comigo, depois ao chegar em casa , q ue uma pessoa pública com aquela postura arrogante, animalesca, algum dia seria desmascarada. Acredite quem quiser: eu pensei isso de verdade. Porque é muito simples, pessoal: o sujeito pode enganar algumas pessoas por muito tempo ou muitas pessoas por algum tempo, e, inovando no dito popular, pode enganar muitas pessoas por um bom tempo, mas é certo que não poderá enganar a todos para sempre. Sobretudo hoje em dia, com a internet. (Eduardo Guimarães edita o blog Cidadania.com.
http://edu.guim.blog.uol.com.br)//.

"Isto é uma vargonha!"
CPI-BRASIL.COM(Comentário):

Êste cidadão que se diz jornalista(?), é useiro e vezeiro em polêmicas e maucaratismo. Os meios de comunicação onde costuma trabalhar, teem muita dificuldades na formação de sua equipe de trabalho, pois inúmeros são os profissionais da imprensa que se negam a trabalhar na mesma equipe. Eu particularmente, já o criquei algumas vezes no programa de radio e tenho certeza que alguma chegou a seu conhecimento. Eu o chamo de:"BÓRIS BABACA".
(Por Roy Lacerda)

A DIVISÃO da BAHIA

O projeto de divisão do Estado da Bahia, existe ha mais ou menos 15 anos. E atualmente, o Deputado Federal Oziel Oliveira, fez um projeto no mesmo sentido: DIVIDIR a BAHIA, criando um novo estado: São Francisco. Enviamos aos 39 deputados federais que formam a bancada baiana na Câmara, indagando a opinião de cada um. esperamos que todos se pronuncie-se. Pelo visto, estão querendo 'lotear' o Brasil.(Capitão Caverna)

PALOCCI EXPULSO DE RESTAURANTE

Se esta moda pega......

Acreditem. Como as intituições não mereçem confiança, o povo toma as medidas necessárias.
Antonio Palocci, ilustre sanitarista e economista, confundindo esse curso superior com tráfego de influência junto ao PT, juntamente com familiares e amigos foram jantar no último final de semana em conhecido restaurante no bairro de V. Olimpia (R. Fidencio Ramos, 15), aqui na capital paulista, chamado Empório Ravioli.
Os demais comensais presentes começaram a reagir timidamente com a presença do espertalhão petista e, de mesa em mesa vieram nada elogiáveis apupos terminando em "Fora Ladrão!!", o que ele fez. Levantou-se e partiu com seu séquito de amigos e familiares. E que toda a nação repita o feito, quando políticos corruptos frequentarem locais públicos. Se a população brasileira, ver-se cercada de grades em viritude da crescente violência, que forcemos aos políticos não sairem de casa.
Se, aparentemente triste pelos familiares, um simples raciocínio permite inferir do uso desses milhões por toda a família. Portanto: Bem Feito.
E que assim continue com todos os políticos picaretas. Os paulistanos fizeram com Palocci o que toda a nação brasileira deveria fazer sempre que se apercebe lograda, roubada, ludibriada por políticos inescrupulosos, que se aproveitam do cargo público para tirar proveito para si mesmos

Banner